Nu frontal com tarja - profilaxia poética

Profilaxia vem do grego prophýlaxis e significa "cautela". É normalmente usada para definir precaução, o que se faz para evitar doenças. A poesia tem para mim esse significado. Não é nem a minha leitura habitual nem o meu campo de conforto ao escrever. Tenho tempos de ler e sentir poesia. São os tempos de me realinhar em harmonia, são os tempos de purgar incompreensões, são os tempos de não me deixar adoecer de inanição da alma.

Ando nesses tempos.

Tudo em mim pede uma linguagem que transcenda a prosa.

Tudo em mim pede significados que vão além do real.

Tudo em mim pede a consistência do soco que desperta, conjugado à suavidade do que toca a sensibilidade.

Nesse tempo que o livro de Lúcia Santos, Nu Frontal com Tarja, me chegou às mãos. Presente de uma amiga poeta - Lindevania Martins. Da delicadeza da lembrança ao elo de mulheres que escrevem e se unem na colcha de retalhos das vozes femininas.
Meu processo de ler poesia é em tudo diferente de ler prosa. Preciso de um distanciamento, de momentos que me façam olhar as palavras com as cadências que possuem, fazendo eco dentro de mim por um sentido que não se explica, se sente.

A poesia atual das mulheres que usam suas vozes para gritar suas verdades por vezes é crua, como o são os sentimentos verdadeiros. Os poemas de Lúcia Santos, divididos no livro em três momentos, não fogem dessa regra.

Como se fossem doses medidas de um medicamento necessário, A tesoura de Dalila poda certeira e toca pontos de profunda urgência. São cio, são fera, são faces de mulher. 
MudOlhar fala de presentes. É transição para novos horizontes. É mistura de prosa e poesia. É vida narrada de forma plena.


"...era agora a dor que sempre evitara." 
A terceira parte, Além Dali brinca com a musicalidade fazendo uma deliciosa referência ao surrealismo do artista, tudo de forma sutil e terna, como o são os poemas musicados.

 
Um livro de poesias nunca se termina. Para mim não é leitura que se faça apenas uma vez. Poesia é para ser revisitada inúmeras vezes, tantas quantas forem necessárias para o reconforto da alma.

Mulheres que escrevem são necessárias. Urgente que suas vozes sejam ouvidas. Com ou sem tarja.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Procurando palavras

Quando a Alma se esvazia

Escolhas são apenas escolhas