Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

Ponto de maravilha

Imagem
Sou eu. Se é que alguma vez me soube com inteireza....Algumas épocas de minha vida achei que sim. Me era mais amigável. Eu me lia mais. Foram momentos incríveis.
Mas a medida que os anos passam, se apossa de minha pessoa uma espécie de sabedoria que se aproxima àquela velha máxima: só sei que nada sei. 
As certezas já não servem como muletas. O pragmatismo analítico se torna mais concreto. Deve ser minha lua em gêmeos afinal que vê os lados de todas as situações como se fossem isolados e encontra coerência nos dois. Embora sejam díspares. 
Sobra como sempre a velha e boa intuição. Aquele quezinho que bate lá dentro e é como uma cadeira confortável, um sapato que veste bem, um aconchego de sentir que sussurra que isto é certo, ou mais certo que aquilo.
Este sussurro é o diferencial. Antes era grito. Era emblema tatuado, era carimbo na testa. Hoje é murmúrio suave. As vezes nem tem tanta relevância assim. Serve para montar a harmonia que forma minha interna (e eterna) desordem. 
Vamos ficand…

Quebrando o trinco de uma porta secreta

Imagem
Uma ninfa Você quebra o trinco de uma porta secreta. Brumas envolvem o seu corpo e levam você para um mundo fantástico, repleto de magia e maravilhas. Quando a névoa se dissipa, você está praticamente irreconhecível.  Eu sou dessas. Gosto de fazer estes testezinhos das redes sociais. Tão bobinhos. Tão interessantes. Quem nunca???

Obvio que eu sei que eles no fundo querem as minhas informações e me dão uns espelhinhos e colares - ops - momentos de divertimento em troca. Eu sei que sai barato para eles, mas fazer o que....Me sentir uma Ninfa vale a barganha.


Você quebra o trinco de uma porta secreta
Vamos combinar que esta frase é linda demais. Se eu tivesse passado alguns anos em análise profunda talvez não conseguisse resumir os insights de vida assim tão poeticamente.

Sim. Já quebrei alguns trincos de portas. Secretas e nem tanto. 

Alguns foram na marreta. Doeram porradas. Queimaram labaredas. Outros foram suaves como arrepio de pele. 

Em nem todos me senti ninfa. Muitas e muitas vezes fui o…