Hábitos e como torna-los ação

Pixabay pic

Esses dias abri uma caixinha de perguntas naquela rede social do momento. Pedi uma palavra para a semana. Várias respostas. Bonitas. Contundentes. Paz, afeto, saúde, paciência. Coragem. Todas necessárias. Algumas urgentes. Uma amiga lembrou: Hábitos. Hábitos diários.

Significado de hábito : Ação que se repete com frequência e regularidade; mania. Comportamento que alguém aprende e repete frequentemente. Maneira de se comportar; modo regular e usual de ser, de sentir ou de realizar algo; costume: hábitos severos. (fonte)

Imaginem um bebê que começa a desbravar o mundo. Ele observa. E age. Ele começa a decodificar aqueles sons que ouve e compreende que formam significados. Ele vê que os seres andam e tenta se equilibrar em perninhas bambas. Cai. Levanta de novo. Tenta. Tenta. Tenta. Até que consegue. Meio tropegamente sai da inércia e ganha sabedoria. Como faz? Hábitos. Ação que se repete com frequência, lembra?

Com a gente não é diferente. Aprender algo exige hábitos. Hábitos requerem disciplina e frequência. Ninguém fala um outro idioma ou corre uma maratona sem treinos. Ou faz um bolo. Ou aprende a desistressar. Não importa a meta, nada se atinge como um passe de mágica. Não existe receita de bolo que encurte caminhos. Há que se traçar uma meta e seguir passos. Repetir passos. Tornar hábito.

Dizem que hábitos levam cerca de três semanas para se estabelecerem como posseiros em nossas vidas. Por isso a importância de repetir. E é nessa constância, principalmente na falta dela, que mora a dificuldade de se estabelecer hábitos ditos saudáveis. A gente acorda e define: a partir de segunda feira vou fazer regime. Ou iniciar uma caminhada diária. Ou vou aprender A ou B. Começa como um leão, depois vem a preguiça, ou um empecilho e lá se vão as boas intenções.

Vou falar de uma experiência propria: para mim tudo tem que seguir uma lógica custo benefício. Faço algo porque ganho algo. Exemplo com a pedaladas diárias. Fiquei anos com uma bike parada em casa. Eu olhando para ela. Ela para mim. Virou cabide. Eu precisando fazer algo mais aeróbico que o pilates de dois dias por semana. Um dia me acenaram com um app que media as calorias ingeridas e descontava dos exercícios feitos. Bacana, comecei a ver na prática que podia comer um pouquinho a mais se pedalasse. Tirei os entulhos da bike, tracei uma meta que poderia fazer sem problemas: 40 minutos diários. Fiz isso por duas semanas com aquele dialogo interno que justificava o esforço. Ao cabo delas, já sentia os benefícios no folego e no bem estar. No final do mês nem precisava mais do app. Já tinha virado hábito.

Então cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. E o que se quer. Pense hábitos que lhe façam sentido. No momento estou exercitando a respiração para trabalhar o estresse. Exercícios diários, poucos, mas constantes.

Então, o que quer incorporar em sua vida? Lembre que hoje você fala ou anda porque insistiu apesar das quedas e erros. E vá em frente!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido

Quando o palco desilumina