Follaria contigo enquanto as bombas caíssem


Gosto da língua espanhola. 

Também já gostei de quem falava espanhol.  

Talvez venha daí uma certa afinidade pelo sotaque. Gosto particularmente do falar madrilenho. Também do catalão.

Lembro do som ritmado onde até as palavras de baixo calão são ditas de maneira quase terna.

Enfogueirada. Mas divertida.

Nem sempre o espanhol foi local só de paixão. Quando o ovo da serpente pariu sua gosma de poder, o solo espanhol se tingiu de sangue, Talvez por isso mesmo, os ardores se tornassem tão mais prementes.

Um pouco como agora. 

Nunca antes se sentiu o bafo de uma destruição nuclear como agora. Na década de 60, talvez. Mas lá não existiam redes sociais e poucas pessoas surtaram até que se resolvesse como deu. Hoje a angústia é compartilhada em tempo real. 

Uma amiga pergunta o que faríamos antes do mundo (como o conhecemos) acabar. Se acabar. Se é que já não acabou.

Vi uma frase que resume o que gostaria de fazer. É do instagram de Ernest Costafreda:

@titilamel

Follar é uma palavra bonita do espanhol. Não é das que usaria em uma reunião familiar. Segundo a web,
"vem do latim follis ("foles, pele de vinho de couro, escroto"). 2º_ Por associação com o movimento e ofegante dos foles, na Espanha é uma maneira vulgar de dizer "fornica". Ou seja, faria amor contigo só pelo prazer da conversação que teríamos depois. Fazer amor também é hoje um eufemismo. A correta tradução seria treparia contigo só pelo prazer da boa conversa de depois. Ou ainda, amo tua cabeça e o teu jeito de fazer amor, como diz a música.

Se as bombas, rosas de Hiroshima, soltassem suas línguas de destruição, indo de canto a canto, em uma retaliação estúpida e inútil, eu follaria contigo só pelo prazer da troca. Follaria contigo antes do juízo final. E além da vida.

Follaria contigo para que teu rosto ofegante e maroto fosse minha última lembrança de um mundo bom. Antes que as bombas caíssem, riria muito, só para me sentir viva. Mergulharia nos teus olhos como da primeira vez, mergulho que nunca mais consegui deter. 

Follaria contigo pela esperança de que essa energia de orgasmos trouxesse algum tino na cabeça dos senhores da guerra. 

Follaria contigo antes que outros destroçassem meu corpo, mulher que sou, troféu e despojo de vencedores de batalhas.

Follaria contigo porque a vida é feita para foliar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

Quando o palco desilumina

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido