Quando a vida vem de roldão


Quando a vida vem de roldão 

Traz memórias de outras eras

Sigo rumos já traçados

Sofro angústias tão batidas

Quando a vida me vem de roldão

Bato cabeça

Nas paredes tortas

Respiro águas passadas

Aperto histórias vencidas

Cabelos, cheiros, cores

Tudo amalgamado

tão igual

tão diferente

Ainda bem que a roda passa

sorrisos voltam

tão diferentes

tão pungentes

tão sem sentido

Tão pouco Clarice













No rolar das páginas

me dizia o velho mestre de obras

as histórias se refazem

Sabedoria que invejava

Simplicidade de ter respostas

Eu nunca

Eu só perguntas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Procurando palavras

Quando a Alma se esvazia

Escolhas são apenas escolhas