Passageira no cotidiano


elenara elegante


Cinco pássaros voejantes. 

Galinhas que cacarejam. 

Alguns gatos malemolentes 

com majestosa beleza. 

Uma rua deserta 

aberta ao desconhecido. 

Uma lua no céu 

rivaliza com raios solares

de luminosa presença. 

Uma curiosidade inata

remexe no peito arfante. 

Um suspiro.

Duas fungadas. 

Um apito ao fundo. 

Um barulho do nada.

Um carro que passa. 

A poeira no asfalto. 

A inocência guardada 

em uma mala mofada. 

A sobrevivência apertada 

da vida que rompe paisagem.

A vida.

Essa continua. 

No sorriso teimoso

De quem não pede licença

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido

Florbela Espanca e a reflexão sobre as versões