a pena no chão


Ela viu a pena e lembrou. 
Lembrou do dia em que foi abandonada, 
do dia em que ficou sozinha no mundo. 
Lembrou do medo, da dor, da solidão.
Uma pena no chão 
Ninguém a viu 
Ninguém a pegou 
Ela chama, chama 
Chama por um dono 
Chama por um lar 
Chama por um objetivo 
Por uma razão para viver 
Ela chama, chama 
Até que alguém a escute 
Até que alguém a leve 
dê um propósito 
deixe de ser uma pena no chão.
Uma pena a pena abandonada.
Tantas almas chamando por um gesto 
Tantos gritos trancados
A pena jogada
O chão 
A terra
Os passos correndo ligeiros
Os olhos nos céus 
A pena no chão
Seu peito doído 
Seus olhos aguados
Sua casa desfeita 
Seus medos ao relento
Seu corpo marcado
A pena arrastada
Ela cansada
Ela apenas uma pena
Jogada no chão 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido

Florbela Espanca e a reflexão sobre as versões