Gestação de Memórias - podcast de histórias das mulheres que me arquitetaram

  Elenara Elegante podcast


Sempre tive um fascínio pelo passado. 

É como se vozes ancestrais soprassem em meus ouvidos um apelo para que pesquise suas histórias, como que para levantar a poeira do esquecimento e as faça novamente viver.

Estou envolvida em um projeto chamado Gestação de Memórias - História das mulheres que me arquitetaram. 

Um desafio de contar a vida olhando essas avós, tias e mães que, com suas vidas anônimas, fizeram germinar sementes que somos nós, suas filhas, mulheres que levamos também nossas vidas da melhor maneira que podemos. Saber de nossas origens talvez não nos melhore, mas nos faz ter mais firmeza de outros pés que nos precederam. Suas histórias tão cheias de riquezas cotidianas me fazem pensar no que elas pensavam, quais histórias  e mistérios guardaram em seus corações e mentes? Quem são essas mulheres que nos chegaram em memórias, fotos desbotadas, recortes de datas e documentos. Não fosse por elas, não estaria eu aqui, dedilhando histórias e reunindo fatos como se fossem um imenso quebra cabeças.

Quem pode dizer que conhece uma pessoa por inteiro? Nem nós nos conhecemos. Escrever sobre cada uma, recolhendo dados aqui e acolá, sempre foi um chamamento. Agora me propus um novo desafio. Estou contando.

Sim, estou narrando em forma de podcast, cada capítulo uma etapa. O arcabouço é como se fosse uma casa, minha casa. As fundações são as avós e bisavós. As paredes as tias e mães. O acabamento somos nós que ainda escrevemos nossas trilhas.

Acostumada a escrever, o falar tem um diferencial que está me surpreendendo. É como se redescobrisse as histórias através de uma narração que é minha e ao mesmo tempo é de todas elas. É como se percorresse de novo estradas conhecidas, mas agora em outros tempos e com outro olhar, o que me faz ter a sensação de primeira vez.

Mulheres que me arquitetaram, sabiam vocês que as sementes que lançaram ao mundo iriam germinar de tantas formas diferentes? Alguma de nós realizou sonhos que em vocês foi apenas anseio? Quais seus pensamentos, bisavó que morreu tão jovem, tão cheia de filhos? Quais desejos tinhas jovem que partiu de sua terra para nunca mais voltar? O que tenho hoje que é herança ancestral de alguma de vocês, mulheres que me precederam? 

Como vocês sou um mosaico de oportunidades e agora já, memórias. Partes desencontradas que formam um eu que um dia talvez faça importância para alguém que se disponha a revirar em minhas heranças de escritos e sonhos. Talvez não. 

A vida segue, feita dos passos de mulheres anônimas ou não que a fazem ser o que é: uma imensa possibilidade a escrever.   

Link para meu Podcast Elenara Elegante

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido

Quando o palco desilumina