Paz é o tempo entre duas guerras

 

Pixabay pic

Costumava ter um pesadelo recorrente. Tinha que fugir de um perigo iminente e tinha pouco tempo para decidir o que levar. Quando vejo multidões de refugiados, tendo que fugir de ataques de guerra, sempre lembro disso. O que optaram por levar? O que deixaram para trás. São mais que pertences. São vidas que se construíram, repentinamente jogadas para fora de suas casas, suas seguranças, sujeitas a sabe-se lá que atrocidades. Quem se responsabiliza por famílias destruídas, por sonhos que são abortados? Que poderes de guerra movidos por interesses geopolíticos justificam que se massacre populações que nada tem a ver com as jogadas do xadrez político mundial?

A guerra é um massacre entre gente que não se conhece, para proveito de pessoas que se conhecem, mas não se massacram. Paul Valéry

Não entro na historinha vendida em todos os conflitos de que há mocinhos e bandidos. A História é muito mais complexa, e suja, de que há interesses escusos e outros generosos. Há sempre interesses. E estes são bem distantes dos interesses das pessoas comuns. Aquelas que não detém o poder de vida ou morte. Aquelas que são vítimas das circunstâncias. Aquelas que morrem, são violentadas, tem que escolher o que levar antes de partir às pressas, sem saber se vão poder chegar ao seu destino para poder contar a sua história.

Além da Guerra na Ucrânia, vejo em manchete que há 28 conflitos ativos no mundo. Agora. Segundo a reportagem, Iêmen, Nigéria, Síria, Mianmar e Somália respondem por 44,6% dos eventos e 55% das mortes, sendo que "para a ONU, a guerra esquecida no Iêmen é a mais grave crise humanitária do mundo. O conflito, que dura cerca de sete anos, já deixou mais de 10 mil crianças iemenitas mortas ou mutiladas, segundo o Unicef (fundo das Nações Unidas para a infância). Ao todo, 11 milhões de crianças --ou quatro a cada cinco no país-- precisam de ajuda humanitária, 2 milhões estão fora da escola e 400 mil sofrem de má-nutrição severa."

Talvez muitos dos conflitos que ceifam vidas e arrasam com outras, não tenham sempre manchetes voltadas para eles. Os interesses da mídia ou de quem detém o poder, pode considerar que há vidas que valem mais que outras. Ou simplesmente talvez sejam notícias que não atraiam atenção. Ou ainda os conflitos sejam de tal forma que não se veja exércitos atacando. Qualquer que seja a guerra, com holofotes ou sem, serão sempre estúpidas. São feitas por quem não luta. E só ganha quem não vive nos locais em que as batalhas são travadas.

Uma guerra sempre avança a tecnologia
Mesmo sendo guerra santa, quente, morna ou fria
Para quê exportar comida, se as armas dão mais lucros na exportação? Renato Russo

Por mais que queiramos viver em paz, ela é quase sempre uma trégua entre duas guerras. Basta olhar a história da humanidade. Enquanto tecemos teorias, crianças sofrem, mulheres são violadas, homens guerreiam por quê mesmo? 

Todas as guerras são estupidas. Mas nem por isso deixarão de ser travadas. Infelizmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

Quando o palco desilumina

só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido