Ouça a postagem

As saudades e os sinais que a vida dá

 



A saudade que tenho, e mora em mim, revela que a ausência dos que já se foram sempre persiste. 

Não existe essa baboseira moderna de tempo de luto definido em calendário. Luto é o tempo do coração sentir a falta. Pode ser mais pesado e dolorido no início. Pode ser mais suave e melancólico em dias assim em que as lágrimas teimam em correr, em um misto de saudades de alguém, ou muitos. 

Pessoas que amamos nos marcam. Vivas ou já mortas. Deixam sutis detalhes que voltam em nós em forma de aprendizado. Nesse momento ouço canto de pássaros em piruetas de primavera. E sinto falta.  

Leio em uma rede dessas da vida que existe uma loucura santa em cada mulher e que o universo age por sinais, nem sempre reconhecíveis. Sabedoria das amigas que se transformam em mestras a apontar caminhos.

Este mês tive um sonho muito interessante. Passava de carro procurando uma casa, que devia ser familiar, mas não. Olhava a todas procurando um sinal e nada. De repente...

De repente a olhei e lá estava. Era uma mescla de todas as casas onde já morei. De uma tinha a localização, de outra a forma, de outra ainda, as pessoas que nos receberam. Eu e meu pai que estava na direção, me guiando. Era uma casa ainda em construção e com novos andares.

A energia de meu pai me guiando para re-encontrar significados novos na arquitetura de minha vida que é, na verdade, uma eterna construção, feita de pedaços de tudo o que já vivi. 

Talvez a morte seja um preço que pagamos pela renovação. Não apenas dos corpos e almas que se transformam em algo que não sabemos, ou sabemos e não querenos nominar. Cada um com sua crença. Mas acabar e enterrar simbolicamente muitos de nossas etapas de vida é também uma forma de ressignificar a vida. Mesmo que para isso, voltemos de vez em quando aos tempos e espaços que nos foram tão caros.  

Saudades sim, sempre. Até com um sorriso de agradecimento ao tanto que fomos amados e amamos.  

Saudades de pessoas e momentos. Reverência por tudo o que fizeram de belo, de vida e energia!

Obrigada a cada um pelas lições e pelo tudo que representaram. 

Saudades eternas de todos.

E saudades de mim mesmo em outros tempos mais felizes.

  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

Quando o palco desilumina

doar sorrisos não tem preço