Ouça a postagem

Puro vício

elenara elegante

Eu tinha olhos de gazela
Ele passos de colibri
Andávamos sorrateiros
Uivando em frenesi

Eu com garras de lince
Ele manso ermitão
Voávamos círculos esquisitos
Feito puro furacão

Eu com patas de marmota
Ele faro de baleia
Fugíamos alucinados
Ele rei, eu sereia

Nossa dança desbragada
Iluminava os silêncios
Era mar/era deserto
Calmarias e suplícios

Puro vício

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a vida me toma de roldão

Quando o palco desilumina

Escolhas são apenas escolhas