Ouça a postagem

Diários da pandemia - alguém morreu soltando pipa

Imagem de Helen Parson por Pixabay

Kaio morreu aos 21 anos. Soltando pipa.

No meio da maior pandemia do século.

Aqui se chamava de pandorga. Lembro quando ganhei uma. Era verde e toda delicada. Fui soltar na Redenção, um enorme parque verde que abrigou uma comemoração do aniversário da revolução farroupilha. Aquela que nós gaúchos comemoramos até hoje, embora alguns digam que perdemos.

Que seriam as derrotas? 

Perder uma guerra ou perder os valores?

Mais importante, quais nossos valores? 

Aqueles que defendemos até a morte? Podem nos torturar e até se vangloriar disso depois, mas nunca nos venceram.

Somos como as pipas no ecu. Voamos alegres. Até que um fio nos bate de frente.

Morre um Kaio. Aos 21 anos.

Morremos todos um pouco de cada vez que nossos voos batem de frente com fios.

Esquisita essa vida.

Lutamos pelo quê mesmo?

Comentários