sábado, 3 de outubro de 2015

Hoje só finjo ser boba #SQN


Hoje só finjo ser boba  #SQN

Confesso: sou boba sim. Sou ingênua, olho o mundo com jeito de Poliana. Tenho o incrível defeito de tentar enxergar o lado bom de tudo. Além de um capacidade empática que me faz entender o ponto de alheio. Às vezes ele se choca com o meu. Mas o meu lado bobona me faz meio desprotegida para ser fodona. Sabe aquele tipo que sou mais eu e o resto que se ferre? Pois é. Não sou assim. Para mim esse tipo ainda leva o nome de egoísmo por mais que as novas terapias e jeitos de ver o mundo o glorifiquem.

Perante nós mesmo todos fingimos ser mais ingênuos do que somos: é deste modo que descansamos dos nossos semelhantes. Friedrich Nietzsche
Mas e quando eu me flagro da bobice de ser boba, me desestabilizo. Desmorono.

Talvez, um lado interno grita, seja melhor crescer e ver o mundo de maneira mais pragmática. É uma selva, está aí para que a gente encontre a melhor maneira de sobreviver. A nossa maneira. Não importa o quanto custe ao outro.

Mas não. Minha bobice vai sempre gritar mais alto e me fazer querer ajudar, entender, compartilhar.

Quem sabe um dia eu aprenda a viver melhor. Até lá vou enxugando os espinhos, tomando café e seguindo em frente. 

Porque na ingenuidade tudo é de ordem emocional. Tudo. O que não acontece com as outras espécies de conhecimento onde tudo é de ordem intelectual. Na ordem intelectual é possível reatar um caminho que se rompeu. Na ordem emocional, uma vez roto o caminho, já nunca mais se encontrará sequer aquela ponta por onde se rompeu.

Almada Negreiros, in "Ensaios"

Nenhum comentário:

Postar um comentário