domingo, 15 de fevereiro de 2015

Imperfeições com elegância

Escrever exige um foco específico. Não basta sentar e as ideias fluírem. Para que isso aconteça é preciso uma bagagem anterior. Ela pode ser feita de experiências de vida, boas leituras, um certo grau de análise e uma capacidade de comunicação e síntese. 

Perfeita fórmula! 

O complicado é quando um ou mais desses quesitos não fazem parte de sua vida cotidiana nesses últimos tempos.

Livros começados e não terminados. Vida reclusa. Cabeça desfocada. E cadê a inspiração para os deliciosos textos que todos vão ler e te julgar uma pessoa simplesmente genial e merecedora de likes e curtidas? 
Sem perfeição, existe vida? Para certos segmentos de vida virtual não. Para alguns da vida real também não. Mas se formos pensar o que é a vida de verdade? A vida com elegância e que vai passar na nossa frente em momentos de urgência? 

Pausa para lembrar de um acidente de carro. Uma curva, um vento a mais. Um cinto segurando a gente enquanto vidros vão se quebrando e a vida passa como se fosse um trailer com flashes de momentos. Sim, já vivi isso. E sobrevivi. Com poucos arranhões. 

Então como compartilhar uma vida que não é um filme de aventuras? Sem viagens glamourosas, sem filhos, sem conquistas bombásticas? Talvez mostrando aquilo que nem todos queremos na vitrine. O que em nós não é brilhante, o que nos custa fazer. Nossas imperfeições. Nossos defeitos. Nosso lado mais cinza, mas que forma um conjunto que resulta em harmonia.

Será que o medo das pessoas que tanto me acompanha, não me ajudou a compreender medos alheios? Será que não ser tão popular, não me fez mais voltada a me compreender e a trabalhar em mim? Foram os momentos em que superei os defeitos, em que fui em frente apesar dos medos, foram esses em que cresci. 

As vitórias, as coisas boas, foram momentos gostosos, mas as superações foram inesquecíveis. 

Assim, que tal assimilar as imperfeições e aceitá-las como componentes seus. Únicos. E conviver com  eles, mesmo que brigando para superá-los mutas vezes. 

Viver a vida com imperfeições e ser elegantemente consciente e generosa para transformá-las em pontos de diferenciação e impulsão de crescimento. Gol! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário